quinta-feira, 4 de junho de 2015

Estátua de Lenine derrubada em Kharkiv


A praça central de Kharkiv é a maior praça da Europa. Tem uma grande zona de empedrado, seguida de um largo jardim. Ao redor existem avenidas muito largas, onde passam poucos carros.




No centro da praça, tem estado desde há muitas décadas a estátua de Lenine, a relembrar os gloriosos tempos da União Soviética Comunista em que a escassez era tanta que uma pessoa precisava de passar horas nas filas em frente às lojas para conseguir comprar laranjas e papel higiénico.

Tem estado mas já não está.
Em Setembro do ano passado, os ucranianos de Kharkiv, fartos de ver a figura do Lenine, simbolizando o domínio russo sobre a Ucrânia, bem no centro da sua ironicamente chamada “Praça da Liberdade”, decidiram derruba-la e substitui-la pela bandeira da Ucrânia.

Estátua de Lenine em Kharkiv, Março de 2014 - @Steve Evans
Junho de 2015


Este vídeo mostra um pouco de como é que isto se passou:




Estádio do Metalist

O estádio do Metalist em Kharkiv foi um dos 4 estádios ucranianos que acolheram do Euro 2012.
Aqui jogou-se o Holanda - Dinamarca, o Holanda - Alemanha e o Portugal – Holanda.
Um estádio, agora moderno, em tudo parecido ao que podemos encontrar em qualquer outro país da Europa.

Quando lá estive estava a decorrer a final da Liga Universitária da Ucrânia.
Apesar de não ser um jogo profissional nem estar nenhuma equipa de Kharkiv a jogar, era possível ver umas 2 000 pessoas a assistirem ao jogo. E isto por volta das 3 da tarde num dia normal de trabalho. A entrada era gratuita.






Nas prédios circundantes ao estádio ainda estão colocadas grandes faixas com mensagens às equipas que aqui vieram jogam durante o europeu.  



Tentativa de revolução independentista em Kharkiv

Em Abril de 2014 deram-se os mais sérios confrontos independentistas em Kharkiv desde o início do escalar da tensão entre a Rússia e a Ucrânia.

Quando estava no meu albergue em Kharkiv conheci um rapaz de Kiev, de língua materna russa e completamente ucraniano, que me contou como é que isto se passou. Dizia ele:
“ - Uma coisa é a língua. A minha língua materna é o russo, mas eu também falo ucraniano. Outra coisa é o meu país – A Ucrânia.”

Um certo dia de manhã chegaram a Kharkiv umas 2000 pessoas vindas de outros pontos da Ucrânia. O propósito era protestarem contra o sistema vigente e revoltarem-se a favor de um governo pró-russo em Kharkiv.
Houve alguns protestos e muitas pessoas reuniram-se num grande edifício no centro da cidade. A situação na cidade esteve bastante tensa durante esse dia e noite.

No dia seguinte, estes manifestantes, vindos de longe, repararam que todos os seus líderes haviam desaparecido. Assim ficaram sem sabem bem o que fazer, onde e como protestar, e sobretudo a quem cobrar aqueles dias de “trabalho”.
Sendo assim acabaram por se ir embora e a confusão acabou por se dissipar.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Pelo que fiquei a saber o que se passou foi o seguinte.
Kharkiv é uma cidade relativamente grande, contudo a chegada de uns milhares de pessoas, todos homens, com muito bom cabedal e cara de mau, dificilmente poderia passar despercebida.
Kharkiv fica num canto da Ucrânia e as estradas em muitos sítios são mesmo muito más, pelo que é bem provável, que uma boa parte desta maralha tenha chegado de comboio, passando assim pela estação dos comboios, que são sempre pontos bem vigiados.
Além do mais, em Abril de 2014 já havia a experiência do que se estava a passar em Donetsk, e o governo da Ucrânia estava atento ao que poderia acontecer em outros pontos críticos do pais.

Mal os serviços mais ou menos secretos da Ucrânia souberam da chegada destes manifestantes a Kharkiv, enviaram imediatamente forças especiais para a cidade, as quais chegaram a Kharkiv nessa mesma noite.

Durante a noite estes prenderam 75 cabecilhas que estavam a organizar os protestos. E no dia seguinte e todos aqueles titushkas ficaram sem saber o que fazer.

Depois deste incidente houve alguns rebentamentos de bombas em Kharkiv mas sem causar feridos graves ou mortos.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -


Assim, graças à rápida actuação dos serviços secretos ucranianos e das forças especiais, esta revolução pró-russa não deu em nada e a cidade tem vivido num clima de relativa calma. Se intervenção não tivesse sido tão rápida e assertiva é bem possível que Kharkiv estivesse agora a experiênciar um clima de devastação semelhante ao que se vive hoje em dia nas regiões de Donetsk e Lugansk.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Os comboios Intercidades da Ucrânia

Uma boa surpresa que encontrei na Ucrânia foram os comboios rápidos Intercidades.

Fiz os 500 km que separam Kiev e Khrakiv em apenas 4 horas e 35 minutos.
Tendo comprado o bilhete no próprio dia, paguei 10 euros pelo bilhete de 2ª classe.


Um comboio super confortável, em tudo semelhante aos comboios rápidos que podemos encontrar em qualquer outro sítio a Oeste da Ucrânia. A única diferença que encontro é que o comboio é mais largo do que os seus semelhantes europeus, mas isso é também devido ao facto de os carris dos países da antiga união soviética terem uma bitola mais larga do que o que é comum no centro da Europa.
Estes comboios são mais um legado do Euro 2012.

Comboios Intercidades Kiev - Kharviv 




segunda-feira, 1 de junho de 2015

Restaurante em Chernivtsi

Estive em alguns bares e restaurantes em Chernivtsi.
O que achei mais interessante foi o "Goira”. É um restaurante bastante bem decorado e segundo me contaram os meus contactos em Chernivtsi de bastante boa fama.




A coisa mais peculiar é que o restaurante tem um armário particular para guardar as canecas dos clientes mais habituais. Ou seja, os clientes mais regulares ( ou seja, mais ricos ), têm direito a uma caneca de cerveja particular, que os distingue dos restantes cliente.
Eu não me imagino a usar uma dessas canecas, o que a meu ver não é mais do que um adorno de riqueza, mas seguramente que há quem aprecie a ideia.


Neste restaurante são todos bem-vindos, excepto cães, hambúrgueres, e também matrioscas e porquinhos da Rússia. 



Chernivtsi

Chernivtsi é uma das maiores cidades do sudoeste da Ucrânia.
A seguir a Lviv, é uma das mais bonitas cidades da Ucrânia. Isto não é mera coincidência, uma vez que, tal como Lviv, Chernivtsi foi governada e desenvolvida pelos austríacos durante grandes períodos de tempo.







No passado, Chernivtsi, foi o ponto de encontro entre vários povos, nomeadamente, austríacos, ucranianos, romenos e também polacos.

Hoje em dia, Chernivtsi é uma cidade onde se fala maioritariamente russo.
Nos dois dias em que estive em Chernivtsi praticamente só ouvi falar russo, embora por vezes não conseguisse discernir bem em que língua é que as pessoas à minha volta estavam falavam.

Contudo, apesar de Chernivtsi ser uma cidade onde se fala maioritariamente russo, de forma alguma eles querem ser vistos como russos. Nas ruas há muitos símbolos da Ucrânia e todos os postos de iluminação das principais ruas de Chernivtsi têm as cores da Ucrânia pintadas.